segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

A Inês e o Brasil

Imagem: Fofoca de Reality
Inês surgiu há alguns anos como uma personagem caricata que parecia ter saído de alguma esquete do Zorra Total.

Inês não parecia ser alguém para se levar a sério, porque seu comportamento em relação à sexualidade não condizia com seu comportamento em relação à religiosidade.

Riram de Inês porque diziam que ela "parecia uma travesti". (O que se passa na cabeça de uma pessoa que acredita que se parecer uma travesti é algo depreciativo?)

Riram de Inês porque diziam que ela era burra (Como se inteligência fosse sinônimo de educação formal.)

Inês é mulher, negra e foi prostituta.

Inês não sumiu depois da aparição repentina, porque se tornou uma referência no meio gay. No começo, a identificação parecia brincadeira, mas a brincadeira, pra muita gente, virou admiração de verdade.

Inês é alguém difícil de engolir.

Inês é alguém que quanto mais se conhece mais se mostra o oposto de uma caricatura.

Inês, conhecendo-a pouco ou muito, é difícil de não se admirar.

Um comentário:

  1. Nossa. Eu preciso te agradecer. Sabia que eu nunca tinha pensado desse jeito? Eu não a julgava, mas também não enxergava a importância de sua existência. Certa vez, em um dos muitos vídeos em que ela aparece, eu me perguntei porquê não a levavam a sério (na ocasião, ela tentava expressar sua opinião, à maneira já conhecida, e não paravam de dar zoom nos peitos dela). Adoro o jeito como vc escreve ♡ bjs

    ResponderExcluir