segunda-feira, 18 de abril de 2016

Teve golpe!

Foto: Politize
17 de abril de 2014.

A Câmara dos Deputados aprova o processo de impeachment contra Dilma.

Fogos de artifício, buzinaço, gritos de comemoração. Parabéns ao envolvidos.

Uma mulher grita à minha janela: "Dilma vagabunda, vaca". Que dia.

Por que foi um golpe? Porque não havia motivo constitucional para a aprovação desse processo. Dilma não é acusada de nenhum crime. A desculpa das "pedaladas fiscais" foi uma saída discursiva, vazia. O motivo disso é político. É uma bancada corrupta que já não está mais sendo privilegiada dentro do governo atual. É uma parcela da população que não aceitou o fato de seu candidato ter perdido as eleições. A Constituição foi desrespeitada porque os motivos que levaram ao prosseguimento desse processo não são os previstos nela. A democracia foi desrespeitada porque não se aceitou o resultado das eleições. Por isso, o que ocorreu hoje foi um golpe.

A linha sucessória de Dilma é marcada por pessoas atoladas na lama da corrupção. Pra quem é a favor do impeachment, como pensar isso de maneira prática? A lógica vai ser o "rouba, mas faz" ou uma série de impeachments? Esta última opção me apavora ainda mais agudamente: o que vai ser de uma república na qual no mês seguinte a um impeachment começa a se aventar outro? Que democracia resiste a isso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário