terça-feira, 9 de dezembro de 2014

A BÍBLIA, COMO ELA É

Deus criou um homem chamado Adão à sua imagem e semelhança. Depois lhe tirou uma de suas costelas e criou para ele uma mulher chamada Eva. Aos olhos de Deus, o homem é um ser semelhante a Ele, enquanto a mulher é um ser subalterno que o homem carrega nas costas. Deus não queria que o homem e a mulher tivessem discernimento do que é bom e do que é mal, a fim de poder controlá-los com facilidade. Mas havia um fruto proibido, no meio do jardim do Éden, local em que Deus os mantinha prisioneiros, que dava aos dois a capacidade de adquirir discernimento.

Como Deus sabe tudo o que vai acontecer, Ele sabia que os dois comeriam o fruto. Mesmo assim Ele o deixou bem acessível, a fim de se fazer de vítima quando os dois o comessem. Deus criou também a serpente, um animal bastante inteligente e astuto, que Ele sabia que faria Adão e Eva comerem o fruto. A serpente disse ao homem e à mulher que o fruto do bem e do mal era bom, e eles o comeram. Primeiro a mulher, depois ela fez com que o homem também comesse. Ou seja, aos olhos de Deus a mulher perverte o homem.

Deus mora no Reino, um lugar muito melhor do que o mundo que criou para os humanos, mas ao mesmo tempo Ele está em todo lugar. Portanto, Ele estava vendo Adão e Eva comerem o fruto. Ele deixou que os dois comessem, apesar de poder tê-los impedido, porque no fundo era o que Ele queria. Afinal, nem mesmo uma folha cai de uma árvore sem que Deus queira. Mas Deus se fez de surpreso e colocou a culpa na serpente. Desde esse dia, todo ser que como ela se opôs às tiranias de Deus passou a ser chamado de demônio.

Apesar de Deus ter negado o discernimento ao homem e à mulher, o que lhes fazia depender dos outros para saber o que era certo ou errado, Ele argumenta que lhes deixou comer o fruto por causa do livre arbítrio que Ele dá aos humanos. Como castigo por terem Lhe desobedecido, Deus expulsou o homem e a mulher do jardim em que eles estavam prisioneiros, o que pode parecer bom, mas não é: o jardim era um terreno fértil, diferente do local para onde foram enviados.

Deus passou a impugnar a todo ser humano que nascesse um pecado original baseado na desobediência de Adão e Eva, a fim de tornar todos devedores em relação a Ele e poder continuar lhes controlando facilmente. Ele passou a cobrar pesados impostos da família de Adão e Eva. Eles tiveram dois filhos, Caim e Abel. Deus começou a tratar Abel bem e ser indiferente em relação a Caim, sabendo que isso causaria a discórdia entre eles, fazendo com que Caim matasse Abel.

Apesar de todos os humanos serem descendentes de Adão e Eva, Caim encontrou uma mulher que não era sua irmã e teve um filho com ela. Adão também encontrou outra mulher e teve outro filho com ela. Com o tempo, Deus foi perdendo o controle sobre grande parte da população. Uma vez, Deus fingiu que não sabia que isso tudo iria acontecer, e disse estar arrependido de ter criado os humanos. Ele mandou um dilúvio sobre a Terra, que matou todos, exceto a família de Noé, que era mais obediente a ele. Dessa forma, todos nós somos descendentes de Noé também.

Não adiantou nada. Então, ele selecionou um grupo de pessoas, chamado Israel, que ainda lhe obedecia um pouco, e começou a ajudar esse grupo a matar todos os seus inimigos. Isso tudo aconteceu em apenas alguns milhares de anos, apesar de as pessoas viverem quase mil anos, no início do mundo.

Pois bem. Acontece que Deus tinha um filho chamado Jesus, e ele era muito rebelde. Diferente do Pai, ele tinha uma visão progressista, achava que o povo tinha que ser livre, que tinha que morar no Reino com eles, que tinha que ser liberto do pecado original e se tornar imortal como eles. Deus acabou acatando as ideias do filho e o enviou à terra, engravidando uma virgem chamada Maria, a fim de que ele contasse as boas novas para o povo. Maria era noiva de José, mas Deus fez com que ele aceitasse criar o filho d'Ele.

Mas Israel foi manipulado por um povo que não gostava de Deus, e todos acabaram matando Jesus. Deus deixou que isso acontecesse e ainda disse ao filho que esse era o preço que ele deveria pagar para que os humanos tivessem os direitos que ele queria que eles tivessem. Mas três dias depois Ele ressuscitou o filho e o levou de volta ao Reino. Desde esse dia, Deus prometeu que daria a vida eterna no Paraíso aos homens, mas só se eles continuassem a Lhe obedecer e a Lhe pagar impostos. Senão eles arderiam para sempre no Inferno, um local de sofrimento intenso. Mesmo assim, essa vida eterna só seria alcançada depois que Ele destruísse o mundo em que os humanos vivem, o que ainda não aconteceu. Até lá, o povo continua morrendo e passando dificuldades na Terra. Mas acredita que Deus cumprirá sua promessa e irá ressuscitá-lo quando esse dia chegar.

Apesar do comportamento psicótico, cruel, tirânico e machista de Deus ao longo de toda a Bíblia, os humanos, que O temem, acreditam que Ele é bondoso, piedoso e amoroso, e Lhe prestam cultos em agradecimento a tudo que Ele lhes fez.


A BÍBLIA, COMO EU A VEJO

Um monte de histórias escritas por um povo fanático religioso sobre o deus terrível no qual eles acreditavam.

Jesus Cristo: um homem que tinha um crença num deus totalmente diferente, ligado ao amor e à misericórdia, no qual eu também creio.

Um monte de histórias escritas por um povo fanático religioso sobre Jesus Cristo, tentando ligar o que ele falava ao deus no qual o povo cria antes dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário