quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O TABU DO SEXO ANAL


Existe um tabu imenso em nossa sociedade no que diz respeito ao sexo anal. Abaixo estão listados cinco motivos que reforçam esse tabu e o porquê de eles serem equivocados.


1. Porque o sexo anal é relacionado diretamente à homossexualidade, uma vez que é a forma de penetração possível nas relações sexuais entre dois homens. Entretanto, qualquer pessoa pode obter prazer com a excitação anal, independente de sua orientação sexual (de se sentir atraído por homens ou por mulheres), porque essa é uma área com muitas terminações nervosas.

2. Por causa da dor que ele pode gerar. Mas essa dor é evitada se o penetrado estiver relaxado e excitado, e se fizer uso de lubrificante (o famoso KY ou similares). Esses cuidados também evitam qualquer tipo de lesão que possa ocorrer durante o sexo anal.

3. Pelo maior risco de contaminação pelo vírus HIV. O sexo anal pode sempre romper um dos pequenos vasos sanguíneos presentes no ânus e no reto, deixando os parceiros mais vulneráveis à contaminação. Mas é claro que esse risco só ocorre em relações sem camisinha.

4. Pela crença de que o sexo anal pode aumentar o risco de doenças na região anal, como hemorroidas e câncer no ânus. De fato, o HPV, outro vírus sexualmente transmissível, aumenta a chance de se desenvolver câncer no ânus. Mas, mais uma vez, esse risco só ocorre em relações sem camisinha. Quanto às hemorroidas, o sexo anal não é causa delas, mas as piora se elas já existirem. Assim, o jeito é tratar as hemorroidas e não fazer sexo anal durante o tratamento. O mesmo vale pra qualquer ferimento aberto na região.

5. Pela higiene. Obviamente, o sexo anal pode expor o contato do pênis do penetrante com as fezes do penetrado, mas apenas se não se fizer o uso da camisinha. Além disso, usando camisinha ou não, pode ser muito desagradável a presença de fezes durante o ato sexual. Pode ocorrer o famoso "cheque", como é chamada a presença de fezes no pênis do penetrado durante o ato sexual. Mas com a limpeza retal, a chamada "chuca", evita-se esse inconveniente. A chuca é geralmente feita com o auxílio de um chuveirinho, desses presentes no chuveiro ou no bidê. Depois de higienizar normalmente o ânus com água e sabonete, a mangueira do chuveirinho é introduzida no ânus até que o reto se encha de água (fria, já que a quente causa dor devido à hiperestimulação dos vasos sanguíneos). Depois disso, a pessoa senta-se no sanitário e expulsa a água do reto, como se estivesse defecando. O procedimento é repetido o número de vezes necessárias até que o reto fique limpo. Há quem faça o mesmo com o auxílio de uma garrafinha como as de soro fisiológico, que são apertadas para ejetar o líquido interno através de um furinho. Também há embalagens descartáveis especificamente criadas para isso, como as da marca In-M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário