domingo, 9 de novembro de 2014

"MISANDRIA NÃO É REAL"


As feministas chamadas de misândricas afirmam que "misandria não é real". Será? Ou será que apenas não é sistêmica e institucionalizada? Porque são duas coisas diferentes... Discursos formam sujeitos e subjetividades. Eles criam realidades. Se eu defendo um discurso de ódio como estratégia, que consequências isso traz? Questiono isso como alguém que se interessa pelo feminismo (e que é pró-feminismo), e não mais como um pretenso feminista.

Um comentário:

  1. Legal. Vou dar minha opinião.

    Na Suécia, feministas estão tentando colocar em um Município o Imposto pra homem.
    A maioria das agressões aos homossexuais são sofridas por homens, homens são a maior parte dos espancados e assassinados por motivações homofóbicas.
    Em fortaleza homens foram proibidos de usar o assento do transporte público.
    Feministas entraram na página do Novembro azul e defendem que a campanha é machista. Quase não há campanhas ou política de saúde para os homens, as poucas que tem as feministas atacam.
    O governo tem como prioridade a mulher, isso é uma coisa legal, mas sabemos que homens também tem dificuldades e são a maioria dos sem moradia. Parecem não se importar com o bem estar dos homens, e isso é socialmente aceito.
    Claro que a maioria das feministas não são misandricas, mas isso é um sentimento crescente dentro do feminismo. E já está tendo efeitos.

    Pra mim, misandria é real.

    ResponderExcluir